Tinder do aluguel acha multitud para distribuir gastos e pergunta ate sobre diplomacia

Colaboracao Con El Fin De o UOL, em Sao Paulo

Marta Monteiro, 62, que trabalhava como corretora, e Veronique Forat, 60, na campo de accion de marketing, criaram um site que funciona igual que uma especie sobre Tinder (aplicativo sobre encontros), para colocar em contato pessoas que tenham alguna cosa em comum e pretender distribuir as despesas de aluguel. Con el fin de dar um “match” (combinacao) ideal, o questionario pergunta ate referente a diplomacia e alimento.

O site morar .vc foi lancado em marco deste ano, em Sao Paulo. Desde entao, as socias passaram a se dedicar exclusivamente ao desenvolvimento do novo negocio.

O investimento original foi de R$ 2.000. As socias dizem que a compania ainda nao tem faturamento e mantem o negocio empleando economias pessoais. an empresa tem recebido, segundo elas, orientacao do grupo internacional Kick Ventures, mas nao ha repasse de recursos.

Desde marco, 400 pessoas ja se cadastraram no site. Ha tres grupos formados, mas ainda nao chegaram a epoca final, sobre morar contiguo. Por enquanto, na fase sobre identificacao e formacao dos conjuntos, nao ha cobranca de taxa, dizem as socias.

“Diferentemente do Tinder, em que basta olhar para a foto e ver se gostou, morar com outras pessoas e um passo muito relevante. E concreto que exista o ‘match’ em diversos etapas “, diz Veronique, ao avaliar o fundamento sobre a compania nao ter ainda fechado negocios.

Ela semblante outra comparacao com ferramentas criadas para juntar casais. “E muito provavel que nos sites sobre namoro haja muito mais personas que se cadastrou do que pessoas que se casaram.”

Opiniao politica e ate habito alimentar estao no questionario

No site, os interessados preenchem um cadastro informando suas caracteristicas e respondem a perguntas que envolvem desde opinioes politicas e conviccoes religiosas ate habitos alimentares.

Depois de verificarem as afinidades, as socias fazem a intermediacao de encontros virtuais e presenciais. a parte seguinte se fundamenta em criar as regras de convivio, igual que o que sera sobre funcii?n comum e particular, por exemplo. Ultrapassada essa epoca, an empresa da inicio a busca cabello imovel de alugar.

A entidad preve que o faturamento vira da comissao que sera cobrada do dono do imovel a ser alugado, alem de uma taxa dos inquilinos pela indicacao sobre empresas parceiras de servi-los, como as de limpeza.

“Em ocasii?n sobre os moradores falarem com dez empresas variados de encontrar um servico, fala com uma so, a morar .vc”, diz Veronique.

A entidad nao planeja lancar aplicativo no curto prazo. “Nao deseamos regresar esses encontros muito automaticos, pois consideramos que a mediacao ainda e significativo. a personas nao esta vendendo um espaco, mas identificando pessoas que se dao bem.”

Metade dos inscritos tem entre 45 e 60 anos

Cercano sobre metade 2 inscritos nunca site tem dentro de 45 e 60 anos. Mulheres separadas com filhos e mulheres solteiras sao enorme parte dos interessados.

A compania afirma que o servico e aberto a pessoas de todas as idades. “Nosso publico-alvo tem mais a ver com os razones que rostro a pessoa tratar morar unido, como contar com uma rede sobre apoio Con El Fin De o dia a dia ou a vontade sobre morar melhor pagando menos.”

Rebasar barreira cultural e desafio

De o professor e especialista em cultura sobre gasto da Fundacao Getulio Vargas Benjamin Rosenthal, o maior desafio da compania sera ter usuarios suficientes.

“Essa start-up vai carear um desafio cultural, por motivo de que envolve uma das coisas https://hookupdate.net/es/whatsyourprice-review/ mais sensiveis de o seu ordinario, que e com quem voce vai morar. Fragmentar o imovel com quem voce nao tem uma historia em comum Con El Fin De compartilhar e bastante desafiador”, diz.

A falta sobre um aplicativo nao e, Con El Fin De ele, um impedimento. “Essa escolha e tao complexa e pouco comum, e voce vai fazer tao poucas vezes na vida, que usar um site ou um aplicativo e indiferente”.

A questao economica e mais comodo, diz. De ele, an empresa pode seguir o modelo das imobiliarias, cobrando pelo servico prestado. “Assim como uma imobiliaria cobra o primeiro aluguel, existe sim uma manera sobre monetizar o servico ofertado.”

Onde hallar

Conheca o aplicativo que funciona igual que um ‘Tinder’ de casas